24 fevereiro 2008

Cada Instante, Domingo, 17.02.2008

A IGREJA PRECISA DE PASTORES


Medite: Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. 1 Coríntios 1:26

Hoje é um dia daqueles que agente não esquece. Algo importante vai acontecer e não tenho como pensar em outra coisa a não ser neste evento. Trata-se da ordenação ao Ministério da Sagrada Escritura do B.Th Hebert Quaresma, na Igreja Presbiteriana de Olinda. Afinal tenho de admitir que os pastores, cercados por uma sociedade secularizada, que não valoriza sua vocação e seu serviço, são interiormente pressionados a provarem seu valor por meio de cursos acadêmicos, cargos eclesiásticos, estabilidade financeira ou ministérios espetaculares. Por sua vez, as igrejas locais são alvos do assédio de uma pluralidade de metodologias pragmáticas mais preocupadas em fazer clientes ou franqueados do que em contribuir para que, por meio de um pensar teológico e missiológico, a comunidade venha a ser tão-somente aquilo que Deus quer que ela seja.

Como diz Eugene Peterson, “a igreja é uma comunidade de pecadores, pastoreada pelo maior deles”. Muitas de nossas frustrações, como pastores, decorrem do fato de que esperamos da igreja mais do que o próprio Deus espera dela. A igreja, por sua própria mensagem de graça, atrai para si pessoas tremendamente complicadas e não-resolvidas, assim como eu e você. É a esse grupo complicado que Jesus envia seus pastores quando diz: “Pastoreie meus cordeiros”.

A Igreja moderna transformou-se num negócio, numa empresa, e o pastor num executivo que luta para manter-se no mercado. Esta é, talvez, uma das mudanças mais significativas e sérias que estamos atravessando.

Somos agora executivos eclesiásticos, circulando com agendas eletrônicas, telefones celulares, secretárias, auxiliares e assistentes, para atender a um volume cada vez maior de reuniões, entrevistas, conferências, aconselhamentos, etc. Ser ocupado, tornou-se um símbolo de "status" e sucesso tanto no mundo secular como no religioso. Ter uma agenda repleta de compromissos é sinal de competência; afinal, ninguém considera um médico competente, cuja sala de espera do consultório encontra-se absolutamente vazia, e ele, confortavelmente sentado em sua cadeira lendo uma boa revista. Para ser competente, precisa estar com a agenda dos próximos meses completamente cheia. Este sim é um bom profissional. Nesta busca por sucesso e "status" não temos mais tempo para construirmos amizades verdadeiras e profundas, nem tempo para caminharmos com nossos amigos no caminho do discipulado. Não temos tempo para ouvir as histórias dos velhos, os dramas dos mais novos e as crises da alma humana. Dispomos apenas de alguns minutos.

O Rev. Hebert afinal está assumindo o pastorado de uma Igreja em São Francisco-MG, depois de 30 anos de vida existêncial dessa igreja, recebe apenas 3 membros adultos e uma criança. Um tremendo desafio e uma enorme dependência de Deus. Eu creio que Deus já está abençoando este novo pastor, eu creio, que a Igreja precisa de Pastores. Pastores fiéis à Deus, porque quando o rebanho não tem um modelo para seguir ou quando o padrão de comportamento dos pastores não é bom, pode-se esperar uma decadência em cadeia, que se alastra por toda a igreja.

Pense: “Como qualquer coisa que não se vê, teu dom torna-se mais poderoso à medida que o usas.” Richard Bach


Ore: Senhor! Agradeço-Te pela vida dos pastores, que mediante a tua soberana graça escolheste-os para pastoreardes o Teu rebanho com amor e dedicação. Em nome de Jesus. Amém!

Com carinho!
Rev. Ashbell Simonton Rédua
asredua@yahoo.com.br

Nenhum comentário: