15 maio 2006

CUIDE BEM DO SEU PASTOR

* Rev. Ashbell Simonton Rédua
Vivemos tempos difíceis na vocação pastoral, tanto para a Igreja como para o pastor, assim um dos maiores desafios que enfrento em minha vida pastoral é manter um equilíbrio adequado em minhas prioridades.
Como pastor preciso desempenhar vários funções, na permanência fiel ao seu chamado. Estas funções requer que eu seja estudante da Palavra de Deus e um homem de oração; tenho de liderar a igreja, trabalhar muito para pregar e ensinar a Palavra, de modo que as ovelhas estejam continuamente sendo transformadas por ela na imagem de Cristo. Tenho de realizar a obra de evangelista e dedicar-me à obra de lidar individualmente com os membros da igreja. Tudo isso e muito mais está incluído na obra de servir a Cristo como um pastor.
Deus me chamou para ser um pastor. Esta é a minha chamada vocacional e ocupa a maior parte do meu tempo. Constantemente, eu me admiro do fato de que Deus me deu o privilégio de servi-Lo desta maneira. O ministério pastoral é a chamada vocacional mais sublime do mundo. Minhas responsabilidades pastorais têm precedência sobre quaisquer atividades que envolvam recreação ou não façam parte do ministério. Tudo o que está envolvido no pastorear o rebanho de constitui o meu dever. Neste ministério, a minha tarefa mais importante é trabalhar fielmente na pregação da Palavra e na oração
Existe uma solidão inevitável que acompanha o meu pastorado.
A maior parte do meu trabalho pastoral pode ser feita somente quando estou sozinho com meu Deus. Sem esse tempo de intimidade com Deus, o tempo gasto com as pessoas não terá muito valor.
Quando tenho de fazer certas escolhas difíceis, faço baseado nas prioridades do meu chamado. Então, eu posso descansar meu coração sabendo que agi com fé, fundamentado nas exigências que Deus tem feito para a minha vida.
Obrigam-me a ser o único homem da igreja que conhece o bastante acerca de Deus. Colocam-me a lutar com Deus, permitindo que saia apenas quando estiver machucado e surrado, a ponto de ser uma bênção.
Nesses 16 anos de ministério, tendo encontrado colegas que estão sangrando e chorando pelo cuidado de sua igreja.
Meu grande apelo a Igreja é: Cuide bem do seu Pastor.
1. Cuide orando por eles. Os pastores genuínos desejam, acima de tudo, as orações de rebanho. Devemos orar pelos pastores, e especialmente que tenham condições de pregar a Palavra. Pastores são humanos, frágeis e pecadores como os demais. Sua tarefa é difícil. O pastorado desgasta e esgota um homem. Pastores são o alvo prioritário do diabo e seus anjos, pois sabem que se conseguirem derrubar e inutilizar um pastor, atingem uma grande vitória. Portanto, os crentes deveriam orar de forma muito especial pôr seus pastores, para que o Senhor os protegesse de toda obra maligna, e que lhe concedesse a Palavra, facilidade e capacidade para transmitir a mensagem de Deus, confiança e ousadia, sabedoria e conhecimento para expor “o mistério do evangelho”.
2. Cuide investindo no Pastor. Dê-lhe condições de estudar, reciclar, aprender mais, porque no fim isto será revertido como fruto para a vida da igreja.
3. Trate-o com honra e respeitabilidade. Ser amável, dócil, cortez com o pastor de vossas almas. Eu não posso tratar o pastor como qualquer pessoa, ele é uma pessoa muito especial desempenhando uma grande missão dada diretamente por Deus. Sabemos que podemos ser amigo do pastor, mas sem perder o respeito e ignorar sua autoridade pastoral sobre as ovelhas do seu rebanho. Mostre que embora o pastor seja seu amigo, merece respeito e honra. Honra e respeito são características daqueles que amam o Pastor.
4. Pague bem o seu pastor. O pastor para produzir bons frutos precisa ser bem remunerado. Paulo exorta a Igreja de Corinto sobre o sustento pastoral (II Cor 11: 8-9). O Pastor precisa dessa tranqüilidade financeira, para dedicar-se de corpo e alma ao serviço do Reino. Muitas vezes queremos nivelar, por baixo, o sustento financeiro pastoral pela nossa renda familiar. Desenvolva na igreja uma mentalidade que possa contribuir para que o pastor e sua família tenham condições financeiras de realizar um trabalho sem maiores preocupações nesta área.
5. Lembre-se dos dias especiais na vida do seu pastor. Duas datas são importantes na vida do pastor: o nascimento e o dia do Pastor. O pastor e sua família também celebram o dia do aniversário, de casamento, natal e tantas outras datas significativas. Lembre-se destas datas tão importantes. Faça um cartão da família e envie para o pastor. Faça uma chamada telefônica e expresse a alegria da sua família por aquela data na vida do seu pastor e de sua família.
6. Não critique o pastor perante os seus filhos. Pastores têm falhas e limitações, mas não podemos destruir a imagem positiva que nossos filhos devem cultivar para com o líder espiritual da nossa igreja. Se há algum ponto que não concorda, procure-o e diga-lhe, em amor, das suas opiniões e discordâncias.
7. Participe dos trabalhos da igreja. Leve a sua família a participar dos trabalhos propostos pelo pastor. Ofereça-se para ser um voluntário num novo projeto. Convide outras famílias para o trabalho da igreja. Estas atitudes proporcionarão alegria ao pastor, com certeza.
Cuide bem do seu pastor! A nossa proposta é que, através destas e outras atitudes, nossas igrejas possam ajudar a tantos pastores que têm sido bênçãos para nós e para nossos familiares.
Soli Deo Glória
Rev. Simonton
* Rev. Ashbell Simonton Rédua é pastor da Igreja Presbiteriana do Sinai, Membro da Comissão Nacional de Evangelização da IPB e Vice-presidente da Aliança Protestante Nacional.
Contato: asredua@yahoo.com.br

3 comentários:

Anônimo disse...

I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
»

Anônimo disse...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

Anônimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»